segunda-feira, julho 28, 2014

Pet ou Silvestre?


Há tempos que estamos solicitando a todos que não denominem passeriformes nascidos em ambientes domésticos de “silvestre” – é uma questão de definição. Ora, silvestre é sinônimo de “selvagem” não seria o caso de utilizarmos esse termo quando quisermos se referir aos filhotes criados.
O pior é que tem gente que supõe que estamos dando ênfase a um assunto de somenos importância. Lógico, quem se incomoda com isso? quem são os atingidos? São os criadores, obviamente. Eles é que estão sendo acuados, confundidos com traficantes, favorecidos e muito prejudicados com a confusão formada. Até os juízes quando nos julgam fazem essa confusão, infelizmente.
Ficamos indignados, há pouco tempo, numa extraordinária feira, onde foram vendidos centenas de milhares de pássaros “exóticos”, um alto dirigente, se dirigindo ao público no encerramento do evento, com os seguintes dizeres: “nós estamos trabalhando firmemente para a preservação na medida que não mexemos e não manejamos silvestres”. Supomos que também ele teria essa dúvida. Ou seria uma clara intenção de desmerecer o trabalho legal de criação dos nativos brasileiros, não seria lógico, pois somos farinha do mesmo saco.
Há muitos outros testemunhos e fatos da espécie, isso incomoda e é uma das origens de muitos estorvos e desentendimentos entre os envolvidos. Como sempre dissemos, é preciso ficar claro que os criadores também não precisam mais capturar “silvestres”, o estoque existente no ambiente doméstico é suficiente para promover as ações de reprodução, notadamente dos passeriformes.
Com referência à mídia, então, faz-se uma grande confusão e aí vem a divulgação dúbia e a sociedade tem a horrível impressão deixada, porque, ninguém na realidade, é a favor de se capturar pássaros “silvestres” e vendê-los de uma forma ou de outra. Vejam só: “Nessa localidade há um criador de pássaros silvestres que os vende com permissão e autorização do IBAMA” que péssima impressão causa essa frase dita, com freqüência, em veículos de comunicação. A impressão é que estamos prendendo pássaros e vendendo.
Sobre a questão, fizemos a seguinte sugestão ao IBAMA, a saber: “Necessário haver um conceito claro do que é um “silvestre” (selvagem/da natureza) vivendo livre nos ecossistemas e o animal nativo de origem silvestre nascido em cativeiro ou ambientes domésticos, um Pet . Há sempre um embaraço e grande confusão causados por falta de uma definição apropriada.
Chamaríamos de: “pet” “crioulo”, “nativo”, “semi-doméstico”, o silvestre brasileiro e o tradicional “exótico”, também Pet para indicar o silvestre do exterior, ambos “crioulos” e “exóticos”, nascidos domésticos, frutos do processo de manejo em criadouros, em ambientes controlados, em estabelecimentos comerciais e jardins zoológicos.
Justificativa: Há sempre uma dificuldade de compreensão por parte da sociedade do que é um animal silvestre (selvagem) de vida livre e um animal de origem nativa ou exótica silvestre nascido em cativeiro (ambiente doméstico); não se pode tratá-los de forma indiferenciada porque neste último produto há a intervenção humana no processo de reprodução que exige o cumprimento com a sustentabilidade: trabalho, dedicação e obediência a regras e normas definidas sobre o uso sustentado da biodiversidade, em Lei.
Portanto, além de resultarem de ação perfeitamente legalizada, tem papel importante na proteção à biodiversidade e conservação de espécies ameaçadas pelo tráfico de animais e degradação ambiental. Repetindo, grande parte da opinião pública supõe, quando se fala em criadouro comercial de espécies silvestres, que se trata de permissão do Estado para se capturar animais na natureza (uma grande covardia) e vendê-los, auferindo-se lucros sem a contrapartida dos trabalhos de reprodução e conservação. O pior é que alguns agentes que tem função pública nos perseguem por ideologia preferem que continue essa confusão que muito nos prejudica junto a opinião pública.
Analisem, também o que escreveu o ornitofilista Antônio Guilherme Voss sobre o assunto: SILVESTRE - que se desenvolve sem necessidade de cultura, selvagem, agreste "Dicionário SILVEIRA BUENO DOMÉSTICO – familiar, manso, relativo a casa ou criado em casa (animal) – Dicionários Silveira Bueno e Dermival Ribeiro Rios. Nativo – que é natural, nacional. Quando me referi à Fauna queria direnciar uma da outra, pois o termo Fauna Doméstica não é meu, li num livro jurídico “Comentários sobre a Lei de Crimes Ambientais”, diziam o seguinte “animais nativos nascidos em ambientes domésticos constituiriam a Fauna Doméstica e não a Fauna Silvestre.
A Lei No 5.197 de 02.01.67 é sábia, veja o que diz em seu 1º artigo: “Os animais de quaisquer espécies, em qualquer fase do seu desenvolvimento e que vivem fora do cativeiro, constituindo a fauna silvestre, bem como seus ninhos, abrigos e criadouros naturais são propriedade do Estado, sendo proibida a sua utilização, perseguição, destruição, caça ou apanha”.
Vejam bem "QUE VIVEM NATURALMENTE FORA DO CATIVEIRO CONSTITUINDO A FAUNA SILVESTRE”. Consequentemente a Fauna nascida na natureza ela é selvagem, é agreste, é silvícola, nasceu nas selvas, ela é Silvestre e obviamente não nasceu em ambiente doméstico. Lógico, então, que o legislador não enquadrou a fauna nascida em cativeiro como Silvestre.
Nossa intenção com tudo isso, é clara, é esclarecer a sociedade e com isso trabalhar para incrementar a criação doméstica em todos os sentidos, ainda mais quando se fala em promover a exploração sustentável dos recursos naturais e como seria bom para a manutenção da biodiversidade no Brasil, em especial nas regiões norte, a implantação de criadouros legais com a comunidade se juntando em associações ou cooperativas para produzir animais nativos semi-domésticas ou “pet” para serem perfeitos animais de estimação.
Esclarecido nosso ponto de vista, depois desses argumentos supomos que precisamos, de forma urgente, parar de utilizar o termo “silvestre” e eleger termos que possam contemplar com propriedade o que é selvagem (da natureza) concordamos “Silvestre não é Pet” e o que é produzido com a ação legal dos criadores em ambientes controlados é um animal de estimação é um PET.
Original publicado no Atualidades Ornitológicas 123 de Jan/2004.
Aloísio Pacini Tostes
Bonfim Paulista – Ribeirão Preto SP
www.lagopas.com.br - multiplicar para conservar.








quinta-feira, julho 24, 2014

Passarinheiros denunciam perseguição e cobram apoio do poder público.

"Precisamos reconhecer e valorizar o trabalho feito por essas
pessoas, com paixão, que ajudam no equilíbrio do meio
ambiente, criando e protegendo várias espécies de
pássaros, que estão em extinção"
Fonte: http://www.cl.df.gov.br/





"Somos criadores. Somos legais". A advertência do criador de pássaros Hélio Araújo sintetiza o sentimento de indignação demonstrado pelos "passarinheiros" em relação à perseguição que dizem sofrer da fiscalização excessiva dos órgãos de controle ambiental. O protesto foi feito na sessão solene que a Câmara Legislativa realizou, na manhã desta terça-feira (27), para homenagear os criadores legais de pássaros. O evento foi de autoria do deputado Cláudio Abrantes (PT). 


"Precisamos reconhecer e valorizar o trabalho feito por essas pessoas, com paixão, que ajudam no equilíbrio do meio ambiente, criando e protegendo várias espécies de pássaros, que estão em extinção", ressaltou Abrantes, ao anunciar que apresentou projeto de lei para criar um dia especial (10 de dezembro) a ser dedicado aos criadores autorizados de pássaros, no calendário oficial de eventos do DF. 

O distrital lembrou que o canto e a beleza dos pássaros encantam as pessoas, desde a infância. E defendeu que a proteção dada pelos criadores a esses animais, "que necessitam de muitos cuidados", deveria ser alvo de louvor pelas autoridades, em vez de repressão. "Criar pássaros é uma paixão nacional, feita com muito amor por pessoas de várias gerações", destacou. 

O presidente da Associação dos Criadores de Pássaros Silvestres (APCB), Glaicon Lima, reclamou de "excessos de rigor" na fiscalização dessa atividade pelo Estado. "Técnicos do Ibama e do Ibram aprenderam na faculdade que criar pássaros é crime. E vivem nos perseguindo, sempre justificando com uma regra nova. Quando a gente se adapta, vem outra norma diferente. Eles até hoje não aprenderam a distinguir traficantes de criadores", protestou. 

O relações-públicas da associação, Ayrton Nogueira, também endossou as críticas à fiscalização. "Sofremos na mão do poder público, em especial do próprio Ibama. Somos favoráveis à fiscalização, mas não como acontece contra nós", reclamou. Na mesma linha, outro criador, Adolfo Schimicoski Neto, advertiu: "Eles não entendem que nosso bem maior é a preservação das espécies". 

Bicudos – "Com o nosso trabalho estamos conseguindo salvar algumas espécies de extinção, como os bicudos, por exemplo. Aqui no Distrito Federal, criamos cerca de dois mil bicudos, que estão inclusive reproduzindo em cativeiro", destacou outro membro daquela associação, Hélio Flávio. "Apesar das injúrias e dos ataques sofridos, estamos garantindo a preservação dessas espécies", comemorou.


quinta-feira, julho 17, 2014

Informações Cbsa Santo Andre.





***DOMINGO É DIA FESTA NA CBSA SANTO ANDRE***

REALIZAREMOS UM TORNEIO EM COMEMORAÇÃO AOS 45 ANOS DE NOSSA ASSOCIAÇÃO, VENHAM COMPARTILHAR ESSE MOMENTO!!!!

PARA CADA FICHA COMPRADA DAREMOS UM CUPOM QUE DARÁ DIREITO AO SORTEIO DE BRINDES, E TEREMOS TAMBÉM TROFÉUS PERSONALIZADOS COM ESSA GRANDE DATA, OS PRIMEIROS COLOCADOS DE CADA CATEGORIA GANHARAM TAMBÉM UMA LINDA CAPA PERSONALIZADA FEITA PELO NOSSO PARCEIRO Capas Mistura Fina!!!!!!!!!!!!!!!!

MODALIDADES: TRINCA FERRO, COLEIRO, CANARIO, AZULÃO, CURIÓ E BICUDO - FIBRA E CANTO LIVRE. R$20,00 A FICHA

FECHAMENTO DA RODA 8:30

INICIO DO CANTO LIVRE 8:30

RUA PAULO NOVAIS. Nº 779
VILA VITÓRIA - SANTO ANDRÉ -SP
CEP 09172-420
Tel: 11 4453-6750


sexta-feira, julho 11, 2014

Produtos AARÃO, este recomendo...




Gaiolas disponíveis!



Gaiolas disponíveis do amigo Thiago Carvalho, vejam fotos abaixo:



Gaiola Coleiro R$ 650,00


Gaiola Coleiro R$ 850



Gaiola Trinca Ferro - foto 1


Gaiola Trinca Ferro - foto 2

Apenas R$ 1.000,00



Amigos, o passarinheiro Thiago Carvalho, esta disponibilizando estas 3 gaiolas, com fotos acima e preços, mais o frete pra calcular conforme sua cidade.

Interessados, favor entrar em contatos por email: tlimacar@hotmail.com ou fone 27-996871901, direto com ele!



Muito bom!


A Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) entregou nesta quinta-feira (10) ao Comando Ambiental da Brigada Militar nove caminhonetes 4x4, dentro do processo de renovação da frota dos órgãos ambientais do Governo do Estado. “Trata-se de um acréscimo fundamental para a fiscalização, em especial no que diz respeito aos recursos hídricos”, salientou o secretário da Sema, Neio Lúcio Fraga Pereira. Os veículos serão imprescindíveis para transporte de embarcações da BM que fazem o controle nas vias hídricas do Estado.

Segundo o coronel Ângelo Antônio Vieira da Silva, são cerca de 50 embarcações que, agora, passarão a ser transportadas de forma mais ágil dentro das regiões hidrográficas do Rio Grande do Sul, ampliando a capacidade de fiscalização do Comando Ambiental. “Isso é fundamental, pois uma das nossas prioridades é justamente a fiscalização no âmbito dos nosso recursos hídricos”, afirmou o comandante.

Os veículos, adquiridos por meio do Fundo Estadual do Meio Ambiente (Fema), atenderão as regiões da Produção (sede em Passo Fundo), Central (Santa Maria) e Costeira (Xangrilá). Cada área receberá três caminhonetes.





quarta-feira, julho 09, 2014

Não crie caso, crie pássaros...



Bom dia passarinheiros do SUL.

Só para esclarecer uma coisa, nunca autorizei ninguém a usar meu nome em sites de clubes, sem uma prévia conversa e formalização, ainda mais como diretor de marketing, este cidadão nunca se quer me pagou ou pediu para que isso fosse feito, pelo menos formalizado, simplesmente ele pedia ajuda na divulgação do seu clube e federação e que depois que fiquei sabendo de inúmeros problemas acontecidos, parei de divulgar, Fica claro aqui que até hoje nenhum clube ou federação me pediu ajuda, Eu ajudo por que acredito, gosto e espero que no futuro as coisas melhorem muito mais para todos nós! E meu blog está de portas abertas para divulgar qualquer trabalho referente a conquistas da nossa classe. Antes de desconfiarem da minha pessoa, falem comigo.



Informações SEMA


Novo Criador Amador de Pássaros Silvestres
Publicação: 07/07/2014 - 14:47
Como me tornar um NOVO Criador Amador de Pássaros Silvestres?
Ler atentamente a INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA nº 10/2011.
1° PASSO: Efetuar cadastro no CTF (Cadastro Técnico Federal)
Instrução para cadastro no CTF:
Manual para novos cadastrados no SISPASS.
2° PASSO - Entrega de documentos
• Documento oficial de Identificação com foto;
• CPF;
• Comprovante de residência (conta de água, luz ou telefone) expedido nos últimos 60 dias;
• Requerimento conforme o modelo que segue.
Imprimir e preencher: REQUERIMENTO – MODELO.
- PRESENCIAL (CÓPIA DOS DOCUMENTOS COM APRESENTAÇÃO DE ORIGINAIS)
LOCAL: Central de Atendimento aos Criadores de Fauna Silvestre - Secretaria de Meio Ambiente (SEMA/RS). Av. Borges de Medeiros, 261/ 1º andar - Centro, Porto Alegre.
O criador poderá ser representado por terceiro através de procuração com firma reconhecida, conforme modelo proposto no anexo VI da IN IBAMA 10-11.
HORÁRIO de atendimento ao PÚBLICO: 2ª, 3ª e 4ª - 9h às 11h30 e 14h às 17h.
HORÁRIO de atendimento às ENTIDADES ASSOCIATIVAS: 5ª e 6ª (só com AGENDAMENTO por telefone ou e-mail) - 9h às 11h30 e 14h às 17h.
- POR CORREIO: CORRESPONDÊNCIA REGISTRADA OU SEDEX COM DOCUMENTOS AUTENTICADOS, INCLUSIVE O REQUERIMENTO.
Endereço: Secretaria de Meio Ambiente – SEMA/RS. SETOR DE FAUNA SILVESTRE. Avenida Borges de Medeiros, 261 - 13º andar / Sala 1305. Centro - Porto Alegre/RS CEP: 90.020-021.
3° PASSO: Emitir licença/BOLETO
INFORMAÇÃO IMPORTANTE: a emissão de licença, geração e pagamento do boleto (3° passo) ainda não estão disponíveis e serão viabilizados oportunamente no SISPASS.
- Para emitir a licença entre no SISPASS (www.ibama.gov.br), clique no link "Serviços", depois clique no link "Gestão Passeriformes Silvestre Nativos" e, por fim, em "Emitir Licença". Imprima o boleto, pague (Anuidade: R$ 93,96) e em até 10 dias será feita compensação no sistema e estará apto para a criação.
CONTATOS
Fone: 51.3288-8185 e 51.3288.8171;
E-mail: SISPASS@SEMA.RS.GOV.BR
Anexos:
DÚVIDAS FREQUENTES – SISPASS.
DÚVIDAS FREQUENTES - FAUNA.

Criador Amador de Pássaros Silvestres já Cadastrado
Publicação: 07/07/2014 - 15:03
CRIADOR AMADOR DE PÁSSAROS SILVESTRES JÁ CADASTRADO.
Ler atentamente a INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA nº 10/2011:
Para qualquer solicitação ler: PROCEDIMENTOS SISPASS.
Imprimir e preencher: REQUERIMENTO – MODELO.
TAXAS de Serviços para Criador Amador de Pássaros Silvestres.
INFORMAÇÃO IMPORTANTE: O pagamento da anuidade referente ao período de 2014-2015 e demais taxas será viabilizado oportunamente no SISPASS.
CONTATOS
Fone: 51.3288-8185 e 51.3288.8171
E-mail: SISPASS@SEMA.RS.GOV.BR
Anexos:
DÚVIDAS FREQUENTES – SISPASS.
DÚVIDAS FREQUENTES - FAUNA.

Fonte: Criando e preservando - Pássaros do Sul, By Cleber Rogério.