Páginas

Cursos Gratuitos

sábado, agosto 18, 2012

Meu amigo Mauricio Tavares me indicou, gostei e postei aqui no blog.

Aqui vai a dica de como tirei o meu galador e não é novidade a ninguém de tem centenas de outras maneiras a obter sucesso.




Sabemos que é muito difícil fazer  o próprio galador em seu criatório, pois requer muita paciência e principalmente dedicação.
O essencial pra isso é:
1º Escolher um macho de curió (pardo ou preto) de seu plantel, que demonstre interesse quando exposto diante fêmeas de curió,ou melhor dizendo (se engrace ao vê-las, essencialmente rasgando para fêmea).
2º "MAIS IMPORTANTE EM MINHA OPINIÃO". Uma fêmea mansinha, (que não seja briguenta, nem de muita valentia), e se possível que já tenha criado anteriormente, pois, aceitará e baixará gala ao futuro reprodutor no momento exato, ato que ira encorajará, o macho no ato de gala.
3º Gaiola mais conhecida como galadeira, que já segue o padrão de fábrica pequeno e passadeiras maiores “para facilitar a passagem do macho até gaiola da fêmea, para cobri-la rapidamente e retornar a sua própria gaiola”.
4º Gaiola criadeira de curió fêmea, que também  segue o padrão de fábrica com passadeiras maiores para facilitar a vinda do macho d até a fêmea , e que siga tamanho especial para criação e tratamento de filhotes no futuro.
5º Uma tapa para bloquear a visualização de um pássaro ao outro. Podendo simplesmente se-la um pedaço de papelão.
Aconselho o treinamento de passagem do macho na galadeira até a gaiola criadeira, de preferência parecida com a da fêmea a ser galada, porém sem nenhuma fêmea, pois se trata de um principiante em treinamento de passagem. Aí cola-se uma gaiola à outra com a tapa, abrindo a tapa o toca de uma gaiola para outra.
Exemplo:
 Coloque o macho na galadeira, abra a tapa das gaiolas coladas, tranferindo o macho da galadeira para a criadeira passando, ao passa-lo conta-se aproximadamente 5/10 segundos e  toca-o novamente até galadeira, ele retornando fecha-se a tapa novamente volta a tapa ao meios das duas gaiolas, assim sucessivamente até perceber que o futuro reprodutor não falhará no momento de gala,mesmo que pra isto exija dias de treino.
 Em seguida, aconselho que  as tentativas de gala sejam feitas no início da manhã e ao  final da tarde, horário qual o curiós machos cantam com maior frequência e conquistam as curiolas mais rapidamente, com sua cantiga resultando o acasalamento de um ao outro.
Estando o macho e a fêmea, cada um em sua gaiola as duas grudadas uma a outra, contendo apenas o espaço para por a tapa entre elas.
Põe-se a tapa para evitar a visão de um ao outro, não esquecendo que para iniciar as tentativas de gala, a fêmea deve estar iniciando baixas de gala quando passado o macho em frente a ela, ou ao ouvir a cantiga do futuro reprodutor, pois, ela deve estar acasalada no canto dele e vice e versa.
Ao coloca-los próximo um ao outro, aconselho que deixem  o macho cantando e rasgando à  curiola durante o tempo necessário até ela se engrace no canto do macho carregando raízes até ninho, e iniciando baixar gala.
Quando percebido o interesse de um ao outro, aconselho que abram a passagem das duas gaiolas, e puxem de vagar apenas um pouquinho a tapa, apenas pra perceber, quais são as atitudes ao se verem, não visto a baixa de gala da fêmea, fecha-se a tapa novamente, isso quantas vezes  for necessário pra aceita-lo.
Percebido a baixa de gala, abram completamente a tapa e deixando-o sair pra gala-la. Ao curió  obter sucesso diante a gala automaticamente ele retornará até sua própria gaiola (Aqui motivo principal de treinamento para passagem de gaiola)
Enfim, retornando novamente ao início, esta é a forma com a qual obtive sucesso, ao fazer o meu galador. Cada criador usufrui de sua própria estratégia. Perante este post  espero ajudar e facilitar o inicio de muitos novos criadores.




FONTE: Walter Kurumi: http://criatoriokurumi.zip.net/s.

Nenhum comentário:

Postar um comentário